Amarga Mara Amora

Às vezes, Mara se sente como se não conhecesse “a verdadeira paz que excede todo o entendimento…” Ela não quer nada na vida além dessa paz, não almeja nada mais que isso. Mas agora, dizendo ter essa paz, Mara se sente atormentada pelo “fantasma” da perfeição! Cuidados, medos, mau-humor, lágrimas – muitas lágrimas, mania de perseguição, etc… Fica pensando a que realmente é a sua vida!

Em meio a este momento de aflição, tormento e tantos outros sentimentos mais angustiantes, Mara ora e fala tudo isso com Deus. Ela briga, coitada, como se pudesse, num passe de mágica mudar tudo com suas ordens, depois ameniza para sua vontade, depois apenas sonhos e logo após, encara a realidade. Só ela e Deus sabem quanto tempo esse processo demora…

Dorme a Mara Amarga à sombra do Onipotente… Acorda a Mara Amora!

Pode terminar esta estória?