Ser o que se é ou o que é preciso ser?

Nesses tempos tão ativos de humores aflitivos,
Ser o que se é ou o que é preciso ser?

Nesses dias tão carentes de amor e boas sementes,
Ser o que se é ou o que é preciso ser?

Nessa vida tão “in”grata, tão breve e tão agitada,
Ser o que se é ou o que é preciso ser?

Com a mente tão cansada, sonolenta e desanimada,
Ser o que se é ou o que é preciso ser?

E o corpo desgastado, dolorido e pesado,
Ser o que se é ou o que é preciso ser?

Preciso é ser do jeito que é preciso para obter o que é preciso…

Ser o que é preciso ser para ser feliz!

Eu a e política: estamos nos conhecendo…

O Analfabeto Político

O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguel, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.

O analfabeto político
é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista,
pilantra, corrupto e o lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.
(Berthold Brecht)
– retirado de: http://www.planetaeducacao.com.br –

Pois  é, durante muitos anos posso dizer que fui uma analfabeta política, apesar de ter uma noção de que uma má administração política geraria “coisas” e “pessoas” ruins, sempre ignorei política alimentando desprezo pela grande maioria dos candidatos. Desde os 17 anos, quando comecei a votar, perguntava a minha mãe – super mulher, politizada, militante de esquerda – em quem ela iria votar e votava nos mesmos candidatos dela, acho que essa postura, na verdade, era cômoda, ela que conhecia os candidatos, ela acompanharia seus mandatos e os cobraria… e eu, nada faria! Ela mandava eu “me ligar”, mas eu não ouvia…

Nas últimas eleições, a revolta aumentou (na verdade entortou, porque não teve o efeito correto!) e eu danava a anular voto, ao invés de procurar um(a) candidato(a) decente, coloquei todo mundo no mesmo saco e desperdicei a chance de dar meu voto a quem, talvez, mesmo que não vencesse, teria esperança em continuar na jornada lutando pelas causas do povo.

Hoje, ando lendo, pesquisando, conversando… ainda pouco, mas pelo menos estou me mexendo! E já tenho candidatos e candidatas à presidência e deputado estadual. Faltam somente 13 dias para as eleições, ainda faltam 2 candidatos(as)…
Até que esse novo procedimento me deu uma pontinha de esperança, agora, caso vençam, espero acompanhá-los em seus “trabalhos”, já que estão ali servindo ao povo, inclusive a mim!

Como cristã, sinto-me na obrigação de dar atenção a este mundo em que agora habito, amá-lo e cuidá-lo, esperando sempre uma melhora, mesmo que pequena, mesmo que lenta, não sei quando será o fim desse tormento, mas enquanto estiver aqui, devo somar para mim, para os meus, para o próximo.

Que o Senhor dê sabedoria aos seus e que oremos rogando por momentos de paz a este mundo, paz que não vem de manifestações hipócritas, mas de Deus! Bastaria cada crente em Jesus fazer sua parte bem feita e pronto, grande parte dos problemas estariam sanados… Pelo menos uma parte bem feita: o voto, já é um bom começo.

Difícil é encontrar uma amizade de “gente” assim…

Difícil é encontrar

Alguém que possa me abraçar, chorar comigo, me dar bons conselhos sem me julgar, sem falar de mim a outros, sem analisar meu comportamento sob o seu.
Encontrar alguém que ouça minhas loucuras, que ore e ore por mim, que chore também, por mim. Alguém que eu possa falar quem sou de verdade, alguém que me ouça com atenção, que me ensine, que seja paciente com minha lentidão no aprendizado, mas acredite que sou capaz de aprender.
Encontrar alguém que caminhe comigo quantas milhas forem necessárias, que entenda quando eu estiver zangada, que zangue comigo também, mas que, nem por isso, me despreze.
Encontrar alguém que me diga a verdade sem querer me agradar, mas que mesmo assim eu perceba em suas palavras e olhos o amor. Alguém que ame amar!
Alguém que não seja virtual, mas real, leal e sincera!
Alguém que sonhe com o grande dia, que sonhe com nosso Pai, em encontrá-lO, que sonhe mas que viva a realidade. Que ame os do Senhor, sua criação e a sua Palavra.
Alguém com quem possa dividir a maioria das coisas, alguém que não haja só por conveniência ou tendência carnal, mas por orientação do Senhor.

Quero muito não esperar essa pessoa, quero muito não precisar dela. Jesus disse que eu não devo esperar retorno, devo amar… Não sei se espero retorno, pois sei que não sou uma pessoa assim, mas quero ser essa pessoa para alguém, alguém que quero encontrar e que queira encontrar-me também.

**

Para quê você vai/é à igreja?


Para quê paramos na frente de um prato para nos alimentar?

Para quê serve a comida que comemos diariamente?
É possível toda a comida que comemos ficar depositada dentro de nós?

Para quê vamos à igreja?
Para quê ouvimos mensagens bíblicas?
Para quê lemos a Bíblia?
É possível, tudo que aprendemos na igreja e na vida cristã, ficar dentro e para nós? Creio que se isso é possível, é porque nada entrou, quanto menos vai sair!

Senhor, ensina-nos a finalidade do Teu alimento, Em nome de Jesus!

***

Amarga Mara Amora

Às vezes, Mara se sente como se não conhecesse “a verdadeira paz que excede todo o entendimento…” Ela não quer nada na vida além dessa paz, não almeja nada mais que isso. Mas agora, dizendo ter essa paz, Mara se sente atormentada pelo “fantasma” da perfeição! Cuidados, medos, mau-humor, lágrimas – muitas lágrimas, mania de perseguição, etc… Fica pensando a que realmente é a sua vida!

Em meio a este momento de aflição, tormento e tantos outros sentimentos mais angustiantes, Mara ora e fala tudo isso com Deus. Ela briga, coitada, como se pudesse, num passe de mágica mudar tudo com suas ordens, depois ameniza para sua vontade, depois apenas sonhos e logo após, encara a realidade. Só ela e Deus sabem quanto tempo esse processo demora…

Dorme a Mara Amarga à sombra do Onipotente… Acorda a Mara Amora!

Pode terminar esta estória?