Estamira, na mira!

Este documentário é fantástico! Quase duas horas de um homônimo de uma “louca”, uma “Senhora Louca”.
Uma loucura inteligente e lúcida. De rir e chorar, de chocar. Digno de público.
Um encanto triste e dolorido… de sofrer a maldade em si.

“Cegaram o cérebro de vocês, o gravador sanguíneo.”

“Não existe gente inocente, esperto ao contrário existe.”

“Tá quase todo mundo alerta, erra só quem quer.”

“O trocadilho vem de uma tal maneira que quanto menos as pessoas têm, mais elas menosprezam, mais elas jogam fora.”

“Quem economiza, tem.”

“Eu sou perturbada, mas lúcida. Eu sei distinguir a perturbação.”

“Vocês não aprendem na escola, vocês copiam.”

“Isso aqui são escravos disfarçados de libertos. A Isabel soltou eles e não deu emprego.”

“Quem fez Deus foram os homens.”

“Perturbação é perturbação, perturbação não é deficiência. Por que não pode ficar perturbado?”

“A única solução é o fogo. Queimar todos os espaços com seres e por outros seres nos espaços.”

“Eu, Estamira, não concordo com a vida.”

“Eu nunca tive sorte. A única sorte que eu tive foi de conhecer o senhor Jardim Gramacho, o Lixão.”

“Eu nunca tive aquela coisa que eu sou: sorte boa.”

“Tudo que é imaginário existe. Sabia que tudo que é imaginário existe, tem e é? Pois é.”

Documentário “Raça Humana”

Já fui contra as cotas raciais, hoje não sou mais. Fui contra porque me apeguei à questão da inteligência e capacidade e claro, negros e brancos têm a mesma. Sou a favor agora, porque entendo que precisamos de representantes e influências negras além de Zumbi!

Concordo que a educação básica, o ensino fundamental e médio públicos devem preparar o aluno, assim como o “que pode pagar”, mas enquanto isso não acontece, enquanto a educação como um todo não é federalizada, a coisa tem que caminhar.

Acho que ainda é uma medida “capenga”, tendo em vista que muitos que entram não conseguem dar continuidade ao curso porque tem que trabalhar ou por outros problemas, mas é uma medida… os que se salvarem, vão fazendo a diferença.

Novas leituras

Estou lendo um livro religioso. Há algum tempo que não tinha essa coragem. Foi indicado por um amigo que considero. Resolvi arriscar… Até agora – li algumas páginas inciais apenas, sequer saí do primeiro capítulo – tem sido gratificante.
Tem tocado questões psicológicas íntimas, às quais não são fáceis de serem ditas, explicadas ou comentadas, ainda mais quando se passa por um momento de crise, não sei se na fé ou em relação a religião; onde sentimos um vazio causado pela falta de solidez nas respostas prontas já tidas, nas estruturas que julgávamos perfeitas, mesmo sabendo que nada é assim, tão perfeito. Causado pela dor… ou a dor que gera o vazio… não sei… acho que não… se há dor, não há vazio, está preenchido pela dor…rs. Acho que primeiro vem a dor, depois o vazio, depois outras coisas vão surgindo, coisas mais bonitas do que os blocos prontos e “sólidos” e mais gostosas do que a dor… imagino que venham flores… coloridas e cheirosas… rs.
Encerrando a viagem… O livro: Crescer: os três movimentos da vida espiritual, de Henri Nouwen.

Três movimentos nos quais resume-se a vida e crescimento cristão. Muito bem expostos na introdução, imagino que no decorrer do livro seja melhor ainda.

Pelo que estou lendo no capítulo primeiro, é muito bem explicado, bem articulado, de uma forma que dá pra entender. Uma leitura boa e prazerosa, pelo menos pra mim, que amo assuntos ligados a espiritualidade cristã, e odeio ao mesmo tempo… rs.

Toca de forma especial quando leio a bíblia e entendo – não sei se entendo, mas entendo de algum jeito…rs  – quem escreveu, seus sentimentos, angústias, tristezas ou alegrias, suas frustrações, seus desejos bons ou ruins… é bom retornar à leitura bíblica, elevada, sem buscar tantas respostas ou sem tantos porquês, apenas encontrar nela conforto e identificação… algo divino.

Inatividade Paranormal 2

Não gostei. O ator que faz o personagem principal, Marlon Wayans, também atuou em As Branquelas – que, diga-se de passagem, é muito, muito engraçado e eu amei  – conquistou minha atenção depois desse filme.
Em Inatividade Paranormal 2, ele continua muito engraçado, mas achei muitas cenas e falas desnecessárias, tudo voltado para sexo e racismo. Não achei muita graça no filme, esperava mais.
As cenas que mais tinham a ver com o sobrenatural, até que foram legais.
Ainda assisti dublado, o que fez com que ficasse pior ainda =/
De 5, dou 2.