Eu a e política: estamos nos conhecendo…

O Analfabeto Político

O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguel, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.

O analfabeto político
é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista,
pilantra, corrupto e o lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.
(Berthold Brecht)
– retirado de: http://www.planetaeducacao.com.br –

Pois  é, durante muitos anos posso dizer que fui uma analfabeta política, apesar de ter uma noção de que uma má administração política geraria “coisas” e “pessoas” ruins, sempre ignorei política alimentando desprezo pela grande maioria dos candidatos. Desde os 17 anos, quando comecei a votar, perguntava a minha mãe – super mulher, politizada, militante de esquerda – em quem ela iria votar e votava nos mesmos candidatos dela, acho que essa postura, na verdade, era cômoda, ela que conhecia os candidatos, ela acompanharia seus mandatos e os cobraria… e eu, nada faria! Ela mandava eu “me ligar”, mas eu não ouvia…

Nas últimas eleições, a revolta aumentou (na verdade entortou, porque não teve o efeito correto!) e eu danava a anular voto, ao invés de procurar um(a) candidato(a) decente, coloquei todo mundo no mesmo saco e desperdicei a chance de dar meu voto a quem, talvez, mesmo que não vencesse, teria esperança em continuar na jornada lutando pelas causas do povo.

Hoje, ando lendo, pesquisando, conversando… ainda pouco, mas pelo menos estou me mexendo! E já tenho candidatos e candidatas à presidência e deputado estadual. Faltam somente 13 dias para as eleições, ainda faltam 2 candidatos(as)…
Até que esse novo procedimento me deu uma pontinha de esperança, agora, caso vençam, espero acompanhá-los em seus “trabalhos”, já que estão ali servindo ao povo, inclusive a mim!

Como cristã, sinto-me na obrigação de dar atenção a este mundo em que agora habito, amá-lo e cuidá-lo, esperando sempre uma melhora, mesmo que pequena, mesmo que lenta, não sei quando será o fim desse tormento, mas enquanto estiver aqui, devo somar para mim, para os meus, para o próximo.

Que o Senhor dê sabedoria aos seus e que oremos rogando por momentos de paz a este mundo, paz que não vem de manifestações hipócritas, mas de Deus! Bastaria cada crente em Jesus fazer sua parte bem feita e pronto, grande parte dos problemas estariam sanados… Pelo menos uma parte bem feita: o voto, já é um bom começo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *