O poder do Resumo

Guilherme está aprendendo o que é resumo. Tentamos explicar de forma prática (o próprio ato de resumir é prático! rs). 
O pai contou a ele uma estória completa e detalhada, depois contou novamente, resumidamente, apenas com os detalhes importantes. Ele entendeu.
Alguns dias depois, estava meio pensativo, perguntei o que era e depois de muito custo, contou-me sua insatisfação a respeito de algumas coisas que aconteceram na escola. Nada demais, mas pensei que o pai pudesse o ajudar mais do que eu, aconselhando que atitude tomar.
No dia seguinte, tentei fazer com que ele conversasse com o pai a respeito da situação que o incomodou no colégio, mas ele contou muito vagamente e o pai falou brincando: “Ah, sim, vejo que você aprendeu muito bem o que é resumo. Quando se trata da sua rotina na escola, você sabe resumir muito bem, né?!” E o Gui respondeu também “brincando”: “É, e você também sabe resumir quando o assunto é trabalho, resume muito bem. Quando eu ligo pra você, pode até estar discutindo com um funcionário, quando chega em casa e eu pergunto se foi tudo bem no seu trabalho, o que você responde? Foi sim, filho, tudo bem. Resumiu bastante…”
Obviamente, uma criança de 8 anos não precisa ser inteirada dos stresses do dia-a-dia de um adulto, mas o Gui já percebeu quando a frase é um resumo ou um fato.