Essa vida não é boa!

Com o Facebook alguns pensamentos de Gui e Gu se perderam. Hoje veio uma lembrança de 2014.


Diante do discurso “tem que estudar”, Gu, inconsolável, conclui : “Mãe, a vida não é boa, a vida é ruim, a gente estuda, estuda, estuda; depois trabalha, trabalha, trabalha; depois morre… e nunca mais vê quem a gente ama… – aos prantos – a vida não é boa, mãe!

 

 

 

Gu e suas músicas

Gustavo ligou o rádio FM do celular e estava ouvindo “Vento no litoral”. Eu disse pra ele que quem estava cantando a música era o Renato Russo. Ele se surpreendeu e disse: 
– A música que eu mais gosto dele é aquela… da Mônica e do Cebolinha… não lembro direito…” 
Eu corrigi:
– Eduardo e Mônica, Gu…” 
– É isso! Eduardo e Mônica.

Pérolas do Gu

O discurso do Gu não estava em conformidade com o da professora sobre seu comportamento em sala, percebendo que eu pendia mais em crer no que a professora havia dito, ele argumenta falando pausadamente e olhando nos meus olhos: “Mãe, você não está acreditando em mim? A tia (professora) não me conhece mais do que eu. Eu me conheço há quase sete anos e ela me conhece há uma semana! Eu me conheço mais do que você me conhece. Eu me vi dentro da barriga e você só me viu quando abriram sua barriga e me tiraram. Eu me conheço mais que todo mundo!”

Ao saber que eu teria que abrir a barriga para que o bebê nascesse: “Mãe, não vou deixar abrirem sua barriga pro neném sair, vai doer e você vai sofrer. Você vai ter que vomitar o neném, ele vai ter que sair pela sua boca!”

Pequenos Diálogos – com Gu e Gui

Após uma recomendação da mãe o pai diz “Sua mãe reclama muito….” e o Gu responde “É… nisso você tem razão…”

Depois de saber que a mamãe está grávida de mais um irmãozinho/a, Gui se surpreende: “Mãe! Com tanta TV e internet em casa, como você ainda fica grávida!?” Eu me surpreendi mais ainda com a resposta dele e perguntei como havia chegado a esta conclusão. “É que alguém me disse que antigamente as mulheres tinham muitos filhos porque não tinham TV nem internet em casa….”




Férias de Paz para o Gu

Férias em casa e Gustavo está em “paz”. Estar em paz para o Gu significa ver televisão, jogar vídeo game, tomar o mínimo de banho possível, não ter que arrumar o quarto imediatamente após levantar e não ser chamado atenção por nós, pai e mãe (pelo menos isso acontece com menos frequência).
O pai sugere um passeio, Gui se empolga para ir, Gu não. 
“Não vou, mãe, deixa meu pai e o Gui irem, porque hoje vai ser meu melhor dia, meu dia de milagre.”
O “milagre”, além da “paz”, é porque estaria sozinho jogando vídeo game e assistindo seus programas favoritos sem o “Gui me implicar”, como diz ele.

Gu e o comercial

Gustavo simplesmente odeia intervalos comerciais! 
Assistindo a um desenho que ele ama, na melhor parte, entra o comercial e ele começa o desespero. Seu rosto fica totalmente transtornado, choroso, irritado e ele grita bem alto “Eu odeio comercial!! Mãe, pra quê que serve comercial? Eu odeio isso! Na melhor parte do desenho que eu gosto vem o comercial… que chato”.
E quando o desenho reinicia, ele diz “Ufa, ainda bem.” O alívio que seu transtorno precisava…

O que faltou na imagem??

Teste de Ciências do Gustavo. 
O exercício pedia para nomear as partes da planta, no caso, uma árvore. Havia uma imagem da árvore com setinhas apontando para cada parte dela, menos uma, que fazia parte da próxima pergunta do exercício.
Gu nomeou todas as partes que a setinha apontou: raiz, caule, folhas e fruto.
A outra pergunta do exercício foi “Que parte da planta ficou faltando?” ele respondeu “O gosto da fruta.” 

A resposta certa era “semente”.

O desenho desta imagem não é dele, como todas do blog, encontrei na internet e achei uma graça.